A História das Comunicações

Publicado por Raquel Espigado em Literatura

Como dizia Benjamin Franklin: “Diga-me eu esquecerei, ensina-me e eu poderei lembrar, envolva-me e eu aprenderei.” É com base nesse preceito que, ao longo de alguns anos envolvida com Transmídia, tenho realizado meu trabalho. Quando eu “conecto” esse trabalho com crianças, a dedicação (e o prazer) são ainda maiores.

Pensem como é chato para uma criança, sentadinha naquelas cadeirinhas duras, por 5 horas seguidas, esperando ansiosamente pelo recreio, e uma professora narrando um trecho da viagem de Pedro Álvares Cabral nas caravelas Santa Maria, Pinta e Nina. Uma história cheia de datas e detalhes que vão cair na prova e precisam ser decoradas desesperadamente, caso contrário, ele será agraciado com uma bela nota vermelha no boletim e um enorme ADEUS ao vídeo game ou ao seu novo tablet (quem nunca ofereceu um prêmio ao filho para passar de ano, levanta a mão). É frustrante para a criança. É frustrante para os pais. É frustrante para a professora.

Agora, imaginem se, ao aprender a história do Brasil, a criança se transformar em Pedro Álvares Cabral e, através de um aplicativo interativo, viver essa grande aventura, desvendado os segredos do mar, descobrindo novas online casino terras e civilizações. Já imaginaram? Nunca mais essa criança vai esquecer as emoções que sentiu estudando. Arrisco dizer que elas nem pensarão que estão estudando.

Quer um meio prático de como uma ação dessas pode funcionar? Se eu chamar meu filho para aprender a história das telecomunicações ele vai sentar ao meu lado, respirar fundo e desconfiado, e eu vou tentar, em vão, mostrar como tudo começou. O primeiro rádio e a primeira TV (preto & branco, enormes, impossíveis de serem penduradas na parede, sem controle remoto ou capacidade para USB). O que será que ele vai absorver disso? Provavelmente quase nada. Agora, se eu introduzo nessa história alguns personagens que fazem parte da bagagem cultural dele, com cores, com magia, com um vocabulário apropriado para a idade dele, será que ele não vai interagir? Será que ele não vai aprender com isso? As chances são bem maiores.

Pois bem, querem tentar? Tenho aqui “A História das Comunicações” ( http://zip.net/bvjJvB), um aplicativo bem legal que escrevi com a ajuda da equipe da Cuca Maluca. Mostre aos seus filhos e depois nos conte como foi sua experiência.

Até a próxima.

 

Beijos

 

Raquel Espigado

 

Tags:

Trackback

Raquel Espigado

Raquel Espigado

Raquel Espigado tem 34 anos e é mãe do Rafa, um menino levado de 8 anos idade. Com formação em publicidade, se apaixonou por transmídia e viu nisso uma nova forma de educar e melhorar o desempenho dos pequenos. Acompanha de perto a evolução das crianças, hoje tão tecnológicas, para pais ainda analógicos. Acredita que as crianças não nascem sabendo se divertir, cabe aos adultos ensina-los. É pra isso que estamos aqui :)

Comente