Dia dos Pais

Publicado por Valéria Guerra em As histórias do papai, Blog

Engraçado como as coisas mudam de perspectiva com o tempo.

Pai e Mãe são a origem de tudo. Mas a gente demora muito tempo para entender realmente isso. A gente só consegue entender quando a gente se transforma em PAI e MÃE!

Durante muito tempo juramos que jamais seremos iguais a eles! Na verdade, perdemos um tempo enorme nisso, até o dia que nos vemos fazendo exatamente as mesmas coisas e dizendo as mesmas coisas que eles diziam quando éramos pequenos.

Hoje eu entendo o que significa ser mãe. Ser mãe é fácil, até porque a nós mães vivemos esse momento. São 9 meses para acostumar com a ideia e experimentar junto com o nossos bebes muitas experiências, que vão dos enjoos até as pequenas mexidinhas dentro da barriga. E os pais?

Sim, eles tentam entender isso. Acho que fazem um esforço sobrenatural para entender como as coisas vão funcionar. Mas será que eles entendem? Mas a hora da verdade, quando aquele pequeno ser vem ao mundo, cai a ficha! UAU SOU PAI!!

E agora? Uma explosão acontece! No momento que nasce uma criança, com ela nasce um PAI e uma mãe.

O que eu vou ensinar? Como ensinar? Como estar presente e fazer diferente?

Nesta hora, é difícil não lembrar do meu pai! Ele não era do tipo super-herói, embora fosse meu herói favorito!  Ele foi um ser humano cheio de imperfeições, mas que todos os dias tentava com todas as forças do mundo ser perfeito.

Lembro que ele dizia que não era um cartaz escrito PAI e nem muito menos um caixa eletrônico, onde era possível fazer saques (sempre que eu queria alguma coisa).

Meu pai me ensinou a ouvir música clássica. Naquela época ele fazia questão de ir ao parque do Ibirapuera, para ouvir música clássica ao ar livre e aproveitar para contar um pouco da história dos grandes mestres.

Com ele, vivi grandes experiências como velejar aos finais de semana e até mesmo voar! Sim voávamos junto de planador! Um programa único de pai e filha!  E com ele eu descobri que o céu sempre é azul. Mesmo que existam nuvens cobrindo o Sol, o céu sempre será azul!

Com ele aprendi a diferença do importante e do essencial: ele fazia questão de mostrar que eu era tão ou mais importante que qualquer outro compromisso. Por isso, ele marcava uma pseudo reunião as quartas feiras para ir ao cinema comigo. Aquilo era importante! Assistíamos o que estivesse passando… qualquer coisa! O que importava é que estávamos juntos. Isto era essencial!

Para ele era importante ser formada, embora ele não tivesse feito isso.  Ele dizia que o maior presente dele para mim era o conhecimento. E ele tinha razão!

Ele me ensinou que era importante conversar sobre as coisas do mundo, pois assim , teríamos a oportunidade de conhecer outros pontos de vista. E nós conversávamos sobre vários assuntos: política, economia, futebol, qualquer coisa, menos meninos! Isso era demais para ele! Claro que com o tempo o assunto acabou fazendo parte da rotina. Ele não gostava muito, mas fazer o quê? Mas, aquilo era importante para mim!

Na maioria das vezes, discordávamos em tudo! Discordava ao mesmo tempo que concordava. E por isso, brigávamos muito! Mas, por incrível que pareça, as brigas homéricas sempre terminavam com um delicioso “papai te ama”!

O que mais me impressionava em tudo isso era o incrível poder que ele tinha de “saber quando alguma coisa estava errado”. Era como se uma enorme sirene alertasse a ele sobre os “perigos”. E como um super-herói, ele sempre esteve ao meu lado, na hora exata, me resgatando! Primeiro dando o ombro para chorar e depois uma bronca enorme para aprender a prestar atenção e não errar na mesma coisa!

Com meu pai, aprendi conceitos importantes como honestidade, dignidade e justiça! Independentemente de ter dinheiro ou não estas coisas eram princípios de vida! E novamente ele tinha razão! Com ele, aprendi que era importante sonhar! Não existe limite para os sonhos! Ele dizia que era importante sonhar e essencial transformar sonhos em realidade!

Ainda bem que eu não demorei muito para entender como as coisas funcionavam. Com o tempo, aprendi a separar o meu pai do meu melhor amigo. E ele fez o mesmo! As broncas eram de pai e as conversas de um grande amigo.

Tenho certeza, que muito do que eu sou, hoje devo a esse cara: O MEU PAI! E me orgulho muito de ser igualzinha ao meu PAI com as minhas filhas!

Infelizmente, meu pai não está mais aqui. Mas onde quer que eu olhe, vejo um pouquinho do meu pai em cada pai que conheço, inclusive no pai das minhas filhas, que faz o impossível por elas e para elas!

Para todos os meus amigos que são ou serão pais: FELIZ DIA DOS PAIS e agradeço ao meu querido e velho PAI por tudo que fez e me ensinou!!!

Valeu pai!!!

Tags:

Trackback

Valéria Guerra

Valéria Guerra

Olá, meu nome é Valeria, sou a fundadora da Cuca Maluca. Paulistana, com descendência Espanhola, sou Administradora de Empresas, Mestre em Comunicação Contemporânea e Professora Universitária. Também sou a mãe da Paloma e da Isabela e esposa e do João! Como eu me defino? Sou inspirada, alegre e feliz e acredito que a vida deve ser colorida e feliz!

Comente