É necessário criar e recriar!

Publicado por Lulubel em O Mundo de Lulubel

Não existe ano bom, ano ruim. Existe viver anos. Viver e lembrar-se de bons momentos, ou de maus momentos também.

Às vezes vejo pessoas dizendo: “  Que esse ano acabe logo… Esse ano foi uma droga!!!!! ”

Mas, o que foi uma droga? Talvez o contracheque que não saldou suas dívidas? Talvez um namoro que não engatou??? Seu carro novo, estreado numa batida? Talvez a sua própria cabeça que não soube se recolocar de forma criativa e ver uma nova alternativa para tudo isso?

É às vezes é difícil ter cabeça para se recolocar quando as coisas são muito pesadas…Eu sei.

Um dia li uma reportagem muito interessante sobre o que determina alguns aspectos da vida. Ela abordava sobre felicidade e memória. Lá dizia que você poderia estar feliz com o novo amor e extremamente aborrecido em ler o texto, ou muito infeliz porque a vida está complicada, mas satisfeito ao ver um bom filme. Em síntese, a tal da felicidade nada mais é que a combinação de passado e presente.

É complicado, porque presente vira passado numa piscadinha. Opa pisquei!!  Pisquei de novo…e ….

Dizer que um ano é péssimo é ultrajante. Existiram momentos bons. Também momentos muito ruins, mas a síntese se chama memória e você tem o poder de comandar a sua.

Esse aqui não será de cara um texto engraçado, mas vou colocar um momento dessa semana que a Cuca me chamou de filha.  Pois é às vezes, como ela é maluca, acontecem umas dessas… Ela me chamou na dita CHINCHA…

-         Filha você é brilhante, e você é ainda mais: você tem o poder de se refazer a cada dia. Não lembro item a item, mas a minha memória fez disso, um momento feliz!

A nossa memória pode nos trair um pouco, esquecendo ou omitindo alguns fatos, mas espere e lembre ao ver em um desenho de crianças juntas. Algo aconteceu?  Você  está sorrindo??? É isso mesmo? Opa, opa …temos uma sensação boa!!!!

Indo além, ao se refazer da dor de uma perda, você online casino’s pode edificar mundos únicos ou criar “Cucas Malucas” e mesmo os tais perrengues  que possam ocorrer,  talvez lá na frente, quando você se lembrar dos anos que você considerou que foram muito ruins, você achei coisas muito boas.

Não, não existe mesmo esse lance de ano bom ou ruim. Existe bons e maus momentos definitivamente, aí você escolhe:

  • Cantar aquela música que toca no rádio e ficar feliz ou ficar emburrado mesmo escutando ela.
  • Lembrar-se do maior piscinão de ramos de todos os tempos, você de calças arregaçadas, com um rodo na mão e dois pivetes rindo e fazer disso uma experiência de infância positiva ou tornar isso algo trágico e chorar muito.
  • Lembrar que talvez seu pai não esteja mais aqui. Que pena, pessoas vão, mas que bom  lembrar da melhor gargalhada delas e gargalhar também!
  • Lembrar que sua mãe ou alguém que você ame está, e você pode abraça-la ou ela pode te dar um colo ou já te deu e foi bom!

E lembrar apenas que o importante como diria o REI SUPREMO: 

Em paz com a vida,
E o que ela me traz,
Na fé que me faz,
Otimista demais…
Se chorei ou se sorri,
O importante
É que emoções eu vivi…

 

Um beijo a todos e FELIZ 2013!

Lulubel e toda a equipe da Cuca Maluca!

 

Trackback

Lulubel

Lulubel

Bem, sou a Lú, mãe dos amados pivetes, de três fantásticos amados pivetes. Tento entender um pouco dessa rotina louca de ser mãe, e ainda dar conta de trabalhar, ter uma vida pessoal. Escolhi ser arquiteta, por afinidade, por admiração e por adoração. A minha infância foi dentro de um escritório de arquitetura dentro de casa, com uma imensa prancheta, régua "T"e imensas folhas de papel com madeiras balsa. O apelido Lulubel foi dado quando dei meus primeiros passos no quintal de casa e desde então entre desenhos e arquitetura criei um mundo. Um grande amigo sempre falou que escrevo com sinceridade, com o meu coração, que tenho um jeito de escrever falado e simples e falar sobre meus filhos e do meu mundo é falar sobre o que ocorre comigo, algo sobre sensações que eu tinha da minha infância e percebo neles hoje, em cada pedacinho ao colocar meu olhar, nas nossas aventuras, desventuras porque afinal a melhor parte da vida, sempre foi e é a infância.

Comente