NOSSOS FILHOS: CRIADORES DE SUA PRÓPRIA HISTÓRIA…

Publicado por Raquel Espigado em Educar

Não podemos subestimar o poder de uma boa história. Ah, quem não gosta de ouvir uma boa história?

E se essa história for contada por seu filho?

Desde cedo nossos filhos são estimulados a ler, escrever, contar os números, identificar cores e vê-los desenhar casinhas com chaminés. Mas o que poucos fazem é despertar a criatividade dos pequenos, indo além do bê-a-bá.

Vou contar aqui uma experiência pessoal com meu filho que, desde pequeno, sempre foi muito fechado, daqueles que não gosta muito de contar seu dia na escola – até porque online casino nem sempre foi um menino de voltar com a estrelinha dourada na testa.

Para estimular a contar um pouco mais sobre o seu dia, suas atividades, suas relações fora de casa, adotei um método bem interessante: como ele ainda não sabia ler, todas as noites antes de dormir, nós brincávamos de ler. Eu pegava alguns gibis, lia a primeira história e pedia para que me contasse a próxima. Ele ainda não sabia ler, mas não queria fazer feio, então buscava acontecimentos reais em suas lembranças cotidianas e me contava em forma de histórias.

Momentos como esse fortalecem o laço dos pais com os pequeninos, estimulam a criatividade e nos dá uma enorme oportunidade de conhece-los ainda mais.

Vamos testar? Pegue um gibi e antes de dormir, peça para que ele conte uma história olhando os personagens das histórias.

Tenho certeza que você vai descobrir um novo – e eficiente – meio de conhecer seu filho na terceira pessoa.

Depois do teste, não se esqueçam de voltar e compartilhar com todos sua história deixando seu comentário.

Beijinhos e até a próxima semana,

Raquel Espigado

Tags: , , , ,

Trackback

Raquel Espigado

Raquel Espigado

Raquel Espigado tem 34 anos e é mãe do Rafa, um menino levado de 8 anos idade. Com formação em publicidade, se apaixonou por transmídia e viu nisso uma nova forma de educar e melhorar o desempenho dos pequenos. Acompanha de perto a evolução das crianças, hoje tão tecnológicas, para pais ainda analógicos. Acredita que as crianças não nascem sabendo se divertir, cabe aos adultos ensina-los. É pra isso que estamos aqui :)

Comentários (2)

  • Renata

    |

    Raquel…parabéns…uma coluna linda que será muito útil para pais e mães…bjs

    Responder

  • Belise Mofeoli

    |

    Olha, Raquel, acho importantíssimo o tema abordado por você. Esse momento de interação está cada vez mais raro. Lembro dos jogos de palavras com meu pai, das histórias inventadas pela minha mãe, da minha irmã dizendo que havia sonhado algo antes de me relatar um “causo”… Exercitar o pensamento dos pequenos deveria ser tomado por missão pelos adultos. Um adendo: outro dia uma amiga minha , a Ana Paula – mãe de uma princesa de um ano de idade, a Helenna – me contou sobre uma pesquisa que diz que estimular os filhos a contar o ocorrido no dia-a-dia através de jogos como os que você fazia com seu filho pode servir para prevenirmos nossas crianças de variadas formas de abusos. Funciona assim: eles passam por algo e, na brincadeira, reproduzem. Se ela ainda tiver o link, colarei aqui.
    Pais, o poder do estímulo da contação de histórias pode salvar seu filho, em especial, a mente dele. E as lembranças destes momentos, serão as melhores! “Sigam a chefe” Raquel Espigado!

    Responder

Comente