SEGREDO SEGREDÍSSIMO

Publicado por Belise Mofeoli em Literatura

Histórias para crianças nem sempre precisam ser fofas. No mundo existem pessoas bem cruéis. E os livros não precisam ser apenas fontes de diversão. Mesmo os voltados para o público infantil. Nesta coluna busco tratar de questões importantes para os coraçõezinhos dos nossos pequenos. Não pude me furtar a um tema que dói mais que um soco no estômago: pedofilia.

Temos a mania de achar que a violência não acontece com quem nos é próximo, mas não é bem assim. Odívia Barros, autora do livro “Segredo segredíssimo” foi molestada quando criança e, percebendo que a filha estava com quase a mesma idade dela quando o abuso aconteceu, decidiu escrever para crianças, de um modo bem leve, sobre a importância de relatar qualquer tipo de aproximação de criminosos que fazem “brincadeiras de adultos” (sic) com menores de idade.

Quando é cedo para começar a falar do mundo real com as crianças? Nunca. E a hora certa é antes que seja tarde. Para que elas não sejam obrigadas a conviver com as angústia e dúvida de passar por uma violência – de qualquer natureza – sem saber que o que está se passando é errado, sim, mas que não é ela a responsável por aquilo.

No livro, graças ao alerta da amiga Alice, Adriana conta à mãe que o “tio” a violentava quando a mãe saía para o trabalho, e que isso fazia a menina querer sumir do mundo. A mulher interveio e todo o peso que a menina carregava, tornando-a triste, deu lugar ao alívio e à felicidade de poder ser criança novamente.

Espero, do fundo do meu coração, que isso nunca aconteça a alguém da minha família ou da sua ou da de ninguém. A simples suposição me dá calafrios. Contudo, estupros, inclusive os de crianças, e outros abusos acontecem em lares de todas as classes sociais e até com nossos conhecidos. Fiquei em choque quando uma conhecida minha relatou que já havia passado por isso. Com alguém tão próximo a mim? Como assim?! Há quanto tempo?!! E os pais não fizeram nada?!!! Infinitos pontos de interrogações e exclamações até hoje na minha cabeça. E o crime prescreveu. E ela, por sua sanidade, o perdoou (mas não esqueceu). Ela, adulta, estava decidida a fingir que nada ocorreu. Eu não. Era/é inadmissível! Caso eu denunciasse, ela negaria. Como alguém ainda se cala? Nunca mais nos falamos.

“Segredo segredíssimo” é uma obra necessária. Às vezes, quando os parentes se calam, alguém tem que bradar. O que não pode é uma criança passar por uma violência sexual sem possibilidade de amparo. Então, se, ainda bem, isso não acontece com nenhuma das crianças com as quais você convive, ler essa obra para elas poderá ajudar também aos amigos que as cercam e que talvez não tenham um lar onde os adultos se preocupem tanto com os pequenos a ponto de terem tempo de conversar sobre seu dia a dia e contarem historinhas para que durmam bem. Sei que vocês fazem isso. Ou não estariam lendo esta coluna.

Sejam confidentes de seus filhos! E até o próximo livro.

 

Trackback

Belise Mofeoli

Belise Mofeoli

Quando a Valeria Guerra me convidou para dar dicas de livros infantis, eu parei, pensei e disse: “Pode ser algo menos careta, como um bate-papo com os pais?” Porque se não fosse, assim, não haveria grandes motivos para esta coluna existir. O que eu queria é discutir literatura infantil de qualidade partindo do ponto de vista da criança que fui. Resolvi botar a pequena Belise no colo e cuidar dela, sabe? Aí ela começou a tomar conta de mim e a me explicar o efeito que cada história fez/faz nela, e que me transformou em alguém que vive da escrita. Depois de tanto pensar e rascunhar possíveis nomes, ao batizar esta coluna de “Grandes Livrinhos que (Re)li”, senti que ia me divertir muito a escrevendo. Tem livros muito bons sendo escritos hoje em dia, contudo, não resistirei a falar também dos mais antigos, que vêm fazendo parte da infância de várias gerações. Afinal, que posso eu fazer se os clássicos são... “clássicos”? Belise Mofeoli é Roteirista, Redatora Publicitária, Roteirista de Audiodescrição.

Comentários (2)

  • Regina

    |

    É um tema tão difícil de “enfrentar” que as pessoas preferem passar ao longe, até por isso achei interessante que fosse colocado ao entendimento das crianças, como nesse livro que você nos dá a conhecer. Parabéns.

    Responder

  • Ed Sabino

    |

    Um assunto tão delicado e polêmico como a pedofilia, não pode ficar velado. Devemos alertar e proteger nossas crianças dessa prática extremamente cruel. Temos que ficar de olho.
    Ótima dica!

    Responder

Comente